Maurício Meirelles entrevista o ator Marcos Oliveira no “Foi Mau” da segunda-feira (11/10) na RedeTV!. Eternizado como ‘Beiçola’ de “A Grande Família”, o veterano de 69 anos fala como eram os bastidores das gravações do programa.

“Era mais ou menos animado. O Pedro [Cardoso] tinha um certo humor e o Lucinho [Lúcio Mauro Filho] também. Rogério Cardoso era maravilhoso. Mas o resto era high society”, declara o ator, sem papas na língua.

Marcos Oliveira então falou sobre o relacionamento que tem com os colegas atualmente, após trabalhar dez anos com eles. “Não tenho contato. Existe uma elite ali que não vai muito com a minha cara, porque acha que sou popularesco demais”, revelou.

O humorista ainda acrescentou: “Tem o popular e o popularesco, que é abaixo do popular”. Ele também analisou como a maneira de fazer humor mudou nos últimos anos. “Antigamente era uma relação de humor textual e de circunstância. Hoje é só circunstância e gags de piadinha”, falou.

Em 2016, ao ficar desempregado, Marcos Oliveira pediu emprego nas redes sociais. No ano passado, ele foi internado com princípio de infarto.

Marcos Oliveira conta se ainda mantém amizade com o elenco com quem dividiu os sets de filmagem por mais de dez anos. “Não tenho contato. Existe uma elite ali que não vai muito com a minha cara, porque acha que sou popularesco demais”, revela. “Tem o popular e o popularesco, que é abaixo do popular”, explica.

No bate-papo com Meirelles, o ator analisa como a maneira de fazer humor mudou nos últimos anos. “Antigamente era uma relação de humor textual e de circunstância. Hoje é só circunstância e gags de piadinha”, pondera, confessando dois de seus ídolos da comédia.

“Quem eu gosto muito que tem uma criatividade legal na narrativa é o Paulinho Gogó e o [Estevam] Nabote.

A entrevista completa foi ao ar no ‘Foi Mau’, às 22h30, na tela da RedeTV!

Fonte: UOL
Foto: Reprodução/Rede TV