A presença de jatos russos interrompeu hoje uma coletiva de imprensa do primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, e do presidente da Lituânia, Gitanas Nauseda, em uma base militar da Otan no país báltico.

O incidente ocorreu enquanto Sánchez e Nauseada conversavam com jornalistas na base aérea de Siauliai, que abriga aviões militares de diversos membros da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Dois caças espanhóis foram acionados para interceptar dois jatos russos Sukhoi Su-24 teriam violado o espaço aéreo lituano no Mar Báltico. Um dos aviões da Otan estava no hangar em que acontecia a coletiva de Sánchez e Nauseda, que foram pegos de surpresa pela movimentação em suas costas.

“Isso justifica a presença de forças espanholas na Lituânia”, declarou Sánchez quando a coletiva foi retomada, 25 minutos depois.

Segundo a agência AFP, o porta-voz das Forças Armadas lituanas, Andrius Dilda, disse que os jatos russos haviam decolado do exclave de Kaliningrado, que faz fronteira terrestre com o país báltico, e estavam com os transponders desligados.

Assim como Estônia e Letônia, a Lituânia fazia parte da União Soviética e se juntou à Otan e à União Europeia para ter garantia de proteção contra eventuais agressões da Rússia.

 

Fonte: UOL
Foto: EPA/Ansa